Minicontos

Carências

A chave trancou de novo. Nem quis forçar muito e já foi tocando a campainha, louco por um banho e um abraço. A mulher abriu a porta sorrindo.

— Como vai o senhor? Hoje nós almoçamos fora, mas alguma coisa eu consegui — e entregou o prato de comida.


09/01/2013